Mobilidade e carro elétrico: como o mundo tem se revolucionado

Mobilidade e carro elétrico: como o mundo tem se revolucionado
Postado em: 16 de dezembro de 2020
Compartilhe

Quando vemos um carro nos dias de hoje, podemos imaginar as inúmeras transformações que o veículo passou, até se transformar no modelo que conhecemos. 

Porém, a evolução e o avanço da tecnologia não influenciam somente na maior potência dos automóveis – atualmente, essas revoluções técnico-científicas também se preocupam bastante com a sustentabilidade e a preservação dos recursos naturais.

É nesse contexto que surgem os carros elétricos. Dinâmicos, eficientes e com menor emissão de gás carbônico (CO2), além de não precisar ser alimentado por combustíveis fósseis, esses veículos são uma alternativa para quem busca uma mobilidade diferenciada.

No artigo de hoje, conheça mais sobre a relação entre a mobilidade e carro elétrico, vendo o quanto o mundo tem se revolucionado ao lado da tecnologia. Acompanhe a leitura!

O que é mobilidade elétrica?

A mobilidade elétrica nada mais é que a eletrificação dos meios de transporte (carros, ônibus, motos, etc.), com o intuito de oferecer uma nova alimentação aos equipamentos.

Hoje em dia, o transporte de carros elétricos está se tornando cada vez mais comum, diante da busca por práticas sustentáveis e soluções para melhorar a qualidade de vida.

Para termos uma ideia, dados do Instituto de Energia e Meio Ambiente (IEMA) mostram que os automóveis movidos a combustíveis fósseis, como gasolina e o diesel, são responsáveis por mais de 72% da emissão dos gases do efeito estufa.

Por esse motivo, a mobilidade elétrica é uma tendência vista a curto prazo, justamente para melhorar a saúde do ar, bem como evitar maiores impactos à natureza.

Além disso, os carros elétricos podem trazer muitas outras vantagens, entre as quais:

  • Redução dos ruídos dos automóveis;
  • Redução dos custos com combustíveis;
  • Desconto ou isenção do IPVA para automóveis eletrificados;
  • Melhora da qualidade de vida.

Vale dizer que os veículos elétricos apresentam maior eficiência, por isso, há uma redução do custo do quilômetro rodado. Fora que os incentivos fiscais estimulam o uso de equipamentos sustentáveis, daí a redução do IPVA.

Não há mudanças estéticas. Inclusive, há carros elétricos com um design mais arrojado, com peças automotivas usinadas, por exemplo. Mas em geral, a aparência continua sendo tão bonita quanto os veículos movidos a combustível ou biocombustível.

O avanço da mobilidade elétrica

O aumento das frotas elétricas é notável. Em 2018, veículos movidos a eletricidade já ultrapassavam mais de 3 milhões de unidades em todo o mundo.

Alguns países, como a China, Reino Unido, França, Índia e Noruega, pretendem banir a comercialização dos carros movidos a gasolina e diesel até 2040. No Brasil, há uma lei nesse sentido, porém, a pretensão é até o ano de 2030.

Segundo a Associação Brasileira do Veículo Elétrico (ABVE), só no primeiro semestre de 2020, houve um aumento de 221% no número de automóveis elétricos comercializados. Atualmente, são mais de 30 mil unidades circulando no país.

O maior destaque está na cidade de São Paulo capital. Tanto que já é possível encontrar cabine de pintura automotiva especializada em carros elétricos e até concessionárias com foco na comercialização desses veículos.

As próprias marcas estão acompanhando essa revolução e lançando modelos elétricos ou híbridos (que funcionam por combustível ou eletricidade), para estimular ainda mais a compra dos veículos sustentáveis.

No entanto, o Brasil ainda carece de pontos de carregamento, principalmente ao longo de suas estradas. Por conta disso, várias empresas, junto ao Governo Federal, estão se mobilizando para aumentar o número dos postos.

Para carregar o carro, o processo é simples: basta conectar o cabo do carregador ao veículo e aguardar. Logo os componentes do veículo, como o kit de embreagem, já vão começar a funcionar normalmente.

O tempo de recarga pode ser diferente, dependendo do modelo do carro. A média, contudo, é de até 8 horas em casa, e 80% da energia nos postos de carregamento, em menos de uma hora.

Aqui no Brasil, não é comum cobrar pelo uso de energia em locais públicos. Sendo assim, a recarga é totalmente gratuita. Em caso de shoppings e estacionamentos, o usuário deve ser cobrado apenas pela vaga, não pela recarga.

Por isso, quem deseja economizar, tem aí uma ótima oportunidade!

Conclusão

O avanço dos carros elétricos caminha a passos cada vez mais largos. Nos próximos anos, estima-se uma verdadeira revolução nesse sentido, com um aumento significativo no número de unidades circulantes.

É uma forma de manter a eficiência e reduzir os impactos ambientais, sendo um dos grandes pontos do desenvolvimento sustentável.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.