Não compre um carro novo sem antes ler este artigo!

Postado em: 20 de março de 2020
Compartilhe

Muitas pessoas ficam desorientadas na hora de colocar em prática o sonho da casa nova, do carro novo ou de qualquer outro item de alto valor agregado.

Realmente, esse tipo de aquisição exige um preparo anterior, bem como a leitura de materiais que desenvolvam o assunto teoricamente e possam ajudar na tomada de decisão.

Pensando nisso, este artigo traz as informações que devem ser levadas em conta no momento da aquisição de um veículo zero km.

Além disso, quais são os benefícios que o comprador pode esperar e exigir da loja, e por outro lado, de que ele provavelmente terá de abrir mão.

Gosto pessoal e custo-benefício

O que realmente significa custo-benefício? A dúvida costuma causar aflição, pois muita gente não sabe se desejos emocionais são legítimos na hora de decidir algo assim.

É preciso definir com a razão, mas também com a emoção, ou certamente haverá arrependimento no futuro.

Não adianta forçar uma postura despojada e se o seu estilo é esportivo. O veículo também pode ser uma ferramenta de trabalho, então em todos os casos busque um meio termo.

Se o seu sonho era ter um carro com tais acessórios, ou com um som específico, ou com um envelopamento automotivo camuflado que seja, é melhor levar isso em conta.

Em casos assim, um risco seria optar por um modelo muito esportivo, que gastaria demais com combustível e manutenção durante o uso rotineiro, outro risco seria um utilitário “sem graça”, que não tivesse o design e o desempenho desejado.

Todos os usos possíveis do carro

Depois de definir suas possibilidades mais gerais, como o estilo geral e o tipo de design e mecânica que você deseja, é hora de especificar um pouco mais a sua demanda real.

Se você é um estudante, solteiro, suas necessidades de deslocamento e de aplicação do carro são de um tipo bem específico, e um veículo de pequeno porte pode atender. 

Um exemplo são os famosos hatchback, que contam com porta-malas integrado ao espaço traseiro.

Agora, se você é pai ou mãe de família, e terá uma rotina de transportar seu cônjuge e seus filhos diariamente, é certo que um modelo de tipo sedã, tracker ou mesmo minivan atenderá de modo bem mais assertivo.

O foco é pensar em todos os usos do carro. Às vezes, o comprador pensa demais em um aspecto, seja o design, seja o valor ou até segurança, mas não adianta ter a melhor chave codificada se você se esqueceu de levar em conta outros aspectos práticos.

Pense, por exemplo, nos dias de trabalho, mas também nos dias de descanso. O modelo escolhido é bom para fins de semana e feriados? Ele atenderia bem a sua demanda em uma viagem à praia, tanto quanto em um dia de trânsito na cidade?

Questões técnicas e financeiras veiculares

Não é possível falar sobre compra de veículos sem falar na importância das questões financeiras mais imediatas. Alguns pensam que por tratar-se de carro novo os valores serão os mesmos em todo lugar.

Não é verdade, pois além de haver lojas multimarcas que concorrem com as concessionárias, existem temporadas de promoção e oportunidades afins.

Mas, só é possível encontrar uma chance única por meio de pesquisas, o que inclui a internet, mas também a visita a lojas e feirões presenciais.

Também assim, ao falar em valor é preciso lembrar que haverá outros gastos implicados.

O carro zero km já conta com uma boa condição técnica, pois tem tudo novo, além de acessórios como extintor para carros em dia. 

Contudo, mesmo assim haverá outros desembolsos indispensáveis, tais como:

  • Documentação;
  • Combustível e óleo;
  • Revisões e check-ups;
  • Impostos federais.

Quando for o caso de financiamento, uma boa estratégia é esperar um pouco mais se for preciso, pois com uma entrada maior a parcela mensal será menor.

A própria lei determina que o parcelamento só seja aprovado se a parcela representar 30% ou menos na renda total do comprador do veículo. Esse é um excelente norte.

Em alguns casos é possível encontrar “taxa zero”, sobretudo quando a entrada é considerável.

Mas, é preciso ficar alerta e sempre tirar dúvidas com o banco, para não cair em nenhuma “proposta arrasadora” que depois só trará prejuízo e dor de cabeça.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.