O que levar em conta na hora de negociar seu carro para venda

Postado em: 11 de maio de 2020
Compartilhe

Você sabe como negociar seu carro para vendê-lo? Se quer aproveitar o bom ritmo de crescimento das vendas de carros usados, precisa aprender.

Desde sempre que um automóvel, além de um objeto extremamente útil para as pessoas (basta ver o número de motoristas de aplicativos que transformaram seus carros em fonte de renda), é também um investimento.

Mesmo com a desvalorização natural do veículo, ele ainda detém bastante valor, o que pode ser muito útil em um momento de desespero ou para facilitar a aquisição de um modelo novo.

E aí, quer saber como negociar um carro para vendê-lo e conseguir o melhor preço por ele? Então siga a leitura do artigo abaixo!

Como negociar carro para venda? Temos 5 dicas para você!

A seguir, daremos algumas dicas de como negociar carro para venda e conseguir aumentar ao máximo o valor potencial dele.

Veja quais são as nossas dicas.

1. Leve em consideração as características do seu local

É fato que o meio molda os homens, pelo menos em algum nível – especialmente quando o assunto é carro.

Afinal, é só pensar que aquela pessoa que mora no litoral precisa usar uma capa protetora para evitar os danos da maresia no automóvel, enquanto aquela que mora em zonas rurais precisa se preocupar com a estrada de terra.

Por isso, quem quer comprar carros usados em Florianópolis não tem a mesma preocupação de quem quer adquirir veículos seminovos no Mato Grosso.

Portanto, você deve levar as necessidades locais da sua região como um adaptador para o seu discurso de venda.

Se a sua região sofre com muitos buracos nas ruas, enalteça a suspensão do seu carro. Se o problema local é o alto preço da gasolina, mostre como esse é um veículo que consome pouco.

Enfim, priorize os fatos que fazem desse veículo um dos melhores para resolver as dores naturais daquela região para poder vendê-lo mais facilmente.

2. Verifique se a documentação está em ordem

Antes mesmo de começar a tentar vender o seu carro, verifique se toda a documentação do automóvel está em dia.

Isso significa verificar se você já transferiu o carro para o seu nome, se há algum procedimento por finalizar, se está com IPVA atrasado e muito mais.

Dessa forma, você evita uma complicação desnecessária que poderia até mesmo cancelar um negócio que já estava fechado.

3. Considere o preço das concessionárias locais

Muitas pessoas querem vender o seu automóvel pelo preço registrado na Tabela FIPE, mas, no entanto, não conseguem. A razão disso é muito simples: a Tabela FIPE não é o valor a se pagar pelo carro, mas sim uma média do preço de mercado dele.

Entretanto, uma média significa que existem preços maiores ou menores, depende muito do contexto.

Por exemplo, é fato que você nunca vai vender um carro pelo valor da Tabela FIPE quando negociar com uma concessionária. Talvez já consiga quando negociar com particulares.

No entanto, se a realidade da sua região não bancar o valor da Tabela FIPE, você nunca conseguirá receber esse montante pelo carro.

Por isso, veja as concessionárias de usados locais e analise por quanto elas estão vendendo o seu modelo e comece a pensar no seu preço com base nisso.

4. Tente vender para uma concessionária

Anteriormente nós dissemos que não dá para o carro ser vendido pela Tabela FIPE, especialmente quando negociado com uma concessionária.

A razão disso é simples: além dos gastos que a concessionária terá (de avaliação, vendedores e outros), ela ainda precisará adicionar a sua margem de lucro. Por isso, ela nunca pagará o valor da Tabela FIPE, pois sabe que aquele é o seu teto.

No entanto, vender para uma concessionária pode ser um bom negócio por outros motivos, especialmente relacionados às condições de venda.

Em primeiro lugar, negociar com uma concessionária é muito mais fácil. Não há toda aquela depreciação normal que os particulares costumam adotar.

Em segundo lugar, a concessionária oferece muitas facilidades para comprar o seu carro. Confira algumas:

● o valor pode ser usado como entrada para aquisição de um novo;

● juros especiais no financiamento de um novo carro;

● possibilidade de consignação, que gera um valor maior pelo carro.

Por isso, vale a pena analisar com carinho a possibilidade de vender seu carro para uma concessionária de modo a lidar com a situação sem tanto estresse, sem tanta complicação e resolver tudo de modo muito mais rápido.

5. Conserve seu carro durante todo o tempo em que dirigi-lo

Um dos erros clássicos de quem quer aprender como negociar carro para vender é achar que dá para “corrigir” os erros de anos de mau uso do veículo.

Foram anos ignorando a revisão, acelerando demais, errando o momento de trocar a marcha e cometendo outras falhas. Não dá para, na hora da venda, tentar “consertar” tudo ou esconder os defeitos atrás de uma pintura.

Por isso, se você tem o objetivo de vender seu carro futuramente, deve cuidar dele desde o início e conservar seu valor o máximo possível. Isso vale a pena em longo prazo.

E aí, aprendeu como negociar um carro para venda? Então deixe um comentário abaixo com a sua opinião sobre o assunto!